O futuro do trabalho tem sido amplamente discutido. E, para muitos, esse conceito inovador e de empreendedorismo está sendo moldado nos caminhos tomados pelas fintechs.

Afinal de contas, são empresas que trazem novas soluções tecnológicas para o mercado financeiro, que resolvem uma dor ou melhoram a experiência do usuários – seja empresa ou consumidor.

E, para que isso fique um pouco mais claro, neste post vamos explorar a atuação das fintechs, bem como a relevância delas para o empreendedorismo atual. Confira!

O que são as fintechs?

O termo tem origem na junção de dois termos em inglês: financial (financeiro) e technology (tecnologia). Abreviando-as temos as fintechs, que são empresas do setor financeiro que atuam com forte apelo nas tendências tecnológicas para oferecer seus produtos e serviços.

As Fintechs surgiram com o propósito de romper os paradigmas do tradicional sistema financeiro,  tornando os serviços financeiros (como cartões de crédito e débito, empréstimos, investimentos,etc) muito mais eficientes, baratos, seguros e transparentes.

E o sucesso recente das fintechs tem ajudado a mobilizar empresas tradicionais do setor. Trata-se, portanto, de um novo capítulo no mercado financeiro em que os recursos digitais são o forte das empresas, desburocratizando e simplificando a relação com os clientes.

Como elas funcionam?

Amparadas pela transformação digital que vivemos, as fintechs têm promovido soluções diversas — tanto para a pessoa física quanto para empresas. E muitas delas nem têm um respaldo de inovação em seus  serviços. Afinal, elas costumam oferecer:

  • Abertura de conta corrente;
  • Aquisição de um novo cartão de crédito;
  • Possibilidade de servir como meio de pagamento;
  • Possibilidade de fazer transferências financeiras;
  • Financiamentos e investimentos.

Idêntico ao que muitos bancos promovem há anos, não é mesmo? Então, qual é o segredo do empreendedorismo cativante das fintechs?

A resposta é simples: agilidade e experiência do usuário, somada ao uso de tecnologias para facilitar essa interação entre o consumidor e serviços financeiros. Isso por si só já é um divisor de águas na conflituosa relação entre os bancos e os consumidores. As fintechs já entraram com o pé direito no mundo digital, enquanto os bancos engatinham nesse sentido.

Exemplos de fintechs

Para entender melhor o impacto das fintechs, vamos analisar algumas empresas que têm se consolidado no mercado, como:

  • Nubank: uma das empresas mais famosas do país que segue essa linha conceitual. Entre os diferenciais do Nubank estão o ambiente 100% digital e a desburocratização de processos, como os cartões de crédito sem tarifas e taxas de juros abaixo das praticadas no mercado;
  • Stone: trata-se de uma empresa que tem proporcionado mais facilidades nos pagamentos com cartão, popularizando as vending machines no Brasil — agregando valor ao consumidor e mais facilidades para as empresas;
  • FoxBit: de carona no sucesso gigantesco de bitcoins, a empresa se apresenta como um meio seguro para as transações da moeda digital — conta com mais de 50 mil clientes cadastrados;
  • Adyen: caso não conheça o nome, você já deve ter usado os serviços da fintech, que cuida das operações financeiras de grandes aplicativos, como Spotify, Uber, Airbnb e Netflix, entre outros.
  • BeeCâmbio: fundada em 2014, essa fintech tem facilitado também as relações entre o consumidor e as casas de câmbio, promovendo cotações constantemente atualizadas e mais agilidade para quem necessita de moedas estrangeiras. 

A importância das fintechs para os consumidores e o mercado

Para o consumidor, os benefícios promovidos pelas fintechs estão na agilidade dos serviços, na desburocratização de um setor até então recluso e pela acessibilidade de serviços e produtos.

Para o mercado, trata-se de uma revolução no mercado financeiro. É um novo capítulo em que as instituições tradicionais vão se adaptar e acirrar a concorrência. Quem ganha com isso, no fim das contas, também é o consumidor.

As tendências para o mercado brasileiro

Já é nítido que as empresas tradicionais do mercado ligaram o sinal de alerta. As fintechs trouxeram novas formas para o empreendedorismo como acesso ao crédito com facilidade, desburocratização do atendimento bancário –  lembra de como era isso há 10 anos? Em um futuro breve, veremos os promissores resultados dessa inovação trazida por essas empresas digitais do segmento financeiro.

E, caso você tenha notado, as fintechs são verdadeiras startups. Por isso, recomendamos fortemente a leitura de nosso artigo que faz uma interessante relação entre as startups e o coworking!

Coworking Day - UPStairs